quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Mil facetas ;


Estava eu Andréia andando e cantando e seguindo a canção (hahahaha) quando comecei a refletir sobre como nós costumeiramente nos encaixamos à “perfis sociais” e a maioria deles servem para homens e mulheres, outros mais específicos... Nós acordamos cedo e saímos e temos que estar com a máscara do “dormi perfeitamente bem, estou arrumada, bem vestida e contente com mais um dia” por mais que estejamos morrendo de sono, com vontade de matar um no dente e sem nenhum saco pro trabalho/aula/qualquer coisa. Então vestimos a máscara da trabalhadora, da boa aluna, da estudiosa, perfeccionista ...Continuamos a mesma pessoa que dormiu, que acordou e convivemos com as outras assim que também estão desfilando sua faceta... Colocamos a máscara da namorada, da carinhosa, cuidadora, da mãe, da filha, irresponsável, controladora, ciumenta, mente aberta... E em nenhum momento podemos “perder a linha”, temos que nos manter coerentes e bem para todos não importando o quanto cada uma dessas “funções” nos exija.Viramos a escritora, formadora de opinião, a leitora, a fã, a assediadora e a assediada, a que faz esporte, a que faz academia, a que faz dieta e a que quebra ela... Não desistimos de seguir em frente ou talvez dar um passinho pra trás, mas continuamos nessa intensidade de transformações e adaptações, porém sempre usando a faceta de ser você mesmo!Pois o mais importante é sabermos lidar com essas “exigências” externas sem nos perdermos de nós mesmos, e não perdendo nossa identidade por conta de um emprego competitivo, pra se destacar nas aulas, por ciúmes ou por amor destrutivo... E se eu não usar nenhuma máscara? Estarei livre de todas essas exigências, serei uma pessoa livre dessas frivolidades da sociedade e chegarei a um nível em que isso não é relevante?? Creio que não, se você for 100% você, o tempo todo, provavelmente você será meio louco...!

Nenhum comentário:

Postar um comentário